liberopox.png

Você tem mais de 18 anos? 
É um homem gay, bissexual ou homem que faz sexo com outros homens?

Participe da LIBERO-POX, uma pesquisa internacional sobre a monkeypox (também chamada de "varíola dos macacos"), e nos ajude a entender mais sobre questões relacionadas à saúde da sua comunidade!

logo1.png

Palavras-chave

HSH; homens gays; bissexuais; monkeypox; inquérito online

LIBERO-POX

- Título oficial -

Estudo sobre conhecimentos, atitudes, comportamentos e práticas relacionados à infecção humana pelo vírus da monkeypox em homens gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens na Península Ibérica e América Latina

- Autores | Instituições -

Centro de Estudios Epidemiológicos sobre las Infecciones de Transmisión Sexual y Sida de Cataluña (CEEISCAT)

Dr. Jordi Casabona

Dra. Cinta Folch

Dra. Cristina Agustí

Ibrahim Sönmez

Héctor Martínez.

Coalition PLUS

Dra. Daniela Rojas

Dr. Nicolás Lorente

Océane Apffel Font

Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos e Saúde LGBT+

Dra. Maria Amélia Veras

Dr. Gustavo Saggese

Facultad de Salud Pública, Universidad Peruana Cayetano Heredia, Lima - Peru

Dr. Carlos Cáceres

Michael Reyes

Juan Carlos Enciso Durand

Instituto de Salud Pública, Universidad Andrés Bello, Chile 

Dra. Valéria Stuardo Ávila

Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP)

Professor Henrique Barros

Dra. Paula Meireles

Miguel Rocha

Investigador colaborador

Faculty of Psychology and Neuroscience - Maastricht University

Dr. Kai J. Jonas

- Parcerias -

Fundación Huésped, Argentina: Pablo Radusky (punto focal), Ines Aristegui, Virginia Zalazar, Gaston Devisich, Debora Fiore, Nadir Cardozo, Mariana Duarte y Solange Fabian 

 

Instituto para el desarrollo humano Bolivia (IDH), Bolivia: Harold Mendoza

 

Red Somos, Colombia: Miguel Barriga, Jhon Fredy Ramirez Correa, Damary Martínez Porras

 

Kimirina, Ecuador: María Elena Acosta (IP local), Lupe Orozco, Jimmy Medina, Tito Esparza, Christian Acosta y Susana Zaldumbide

 

COIN, República Dominicana: Conchi Meroño Montero

 

CAS, Guatemala: Luis Gómez          

- Financiamento -

N/A

- Período -

Outubro 2022 - Janeiro 2023

- Sobre o estudo -

A infecção pelo vírus da monkeypox (MPXV) é uma zoonose que tem sobretudo roedores como reservatório e hospedeiros do vírus, os quais podem eventualmente transmití-lo a humanos. No entanto, a infecção pode também ter um ciclo de transmissão entre humanos. Em 23 de julho de 2022, a Organização Mundial da Saúde (OMS) considerou a infecção humana pelo MPXV como uma Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional. O atual surto tem afetado desproporcionalmente homens gays, bissexuais e outros homens que fazem sexo com homens (GBHSH). Como ainda se sabe muito pouco sobre como as comunidades mais afetadas estão lidando com esta nova ameaça para a saúde, a Red Ibero-Americana de estudios en hombres gay, otros hombres que tienen sexo com hombres y personas trans (RIGHT PLUS) desenhou este estudo com o objetivo de conhecer o que os membros da comunidade GBHSH pensam sobre a infecção humana pelo MPXV, e como estão se preparando para lidar com ela, com particular atenção a sua relação com fatores sociodemográficos e comportamentais.

 

Este é um estudo observacional e transversal, a ser realizado nos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Espanha, Portugal e Peru. O estudo será divulgado através de organizações ligadas à comunidade de GBHSH e por meio do Grindr, um aplicativo de encontros utilizado por essa comunidade. Os dados serão recolhidos por meio do autopreenchimento de um questionário estruturado, a ser disponibilizado em plataforma online. O questionário inclui questões sociodemográficas e sobre a infecção por MPXV, além de questões sobre a preocupação e probabilidade percebida em contraí-la, conhecimento, estigma, mudança comportamental, cumprimento ou intenção de cumprir isolamento após infecção, e vacinação. Também estão incluídas questões sobre o status sorológico para HIV, a utilização de profilaxia pré-exposição (PrEP), uso de substâncias psicoativas, número de parceiros, visita e comportamentos em locais de socialização gay.

 

Para análise dos dados, serão usadas medidas de frequência para descrição da amostra, total e estratificação por país de preenchimento. Serão considerados métodos de análise de clusters para analisar dimensões relacionadas com o estigma e a atribuição de culpa pela doença. Para identificar os preditores de cada desfecho específico e cálculo das medidas de associação adequadas, serão usados métodos de regressão.

O estudo LIBERO-POX foi aprovado no comitê de ética da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo em 10/09/2022.

©LIBERO-POX - Todos os direitos reservados